subliñados de BARATA, MINHA BARATA (Alberte Momán Noval, Chiado Books)

<< O comité proibira aos poetas escrever mirando o horizonte. Não perceberam que a poesia não se escreve, vive-se. E a vida só sabe mirar ao longe, anseia sobreviver>> (13, salientado orixinal)

…………………………………..

<< O comité proibira sonhar além das fronteiras do comité>> (14, salientado orixinal)

…………………………………..

<<O comité proibiu pôr de manifesto as próprias contradições>> ( 18, salientado orixinal)

……………………………………

Cruzou a linha branca que, pintada no chão, dividia os espaços por classes sociais (23).

……………………………………

Tão só um rumor rachava a quitude. Milhares de patas deslocavam-se pelo interior das paredes dos prédios, fazendo vibrar a superfície (32).

…………………………………….

As primeiras luzes, seguidas de estalidos que chegavam como uma onda no ar, correspondiam ás explosões nas centrais elétricas (41).

……………………………………..

<<(…) Pensa nos grandes acontecimentos da história. Qualquer um, na época que tu quiseres. Nós estivemos lá. Ganhando com a guerra e com a paz, com a construição e com a destruição. Hoje cá, contigo neste cuarto, amanhã noutro ponto do planeta, junto aos maiores governos, ou mesmo sem eles. Alimentandonos tanto do que a ti te falta como de tudo o que te sobra. Não precisamos ser eleitos, nem mesmo ser reconhecíbeis, nem reconhecidos(…) (45, salientado orixinal)

………………………………………

(…) o canto dos bébados anunciava a proximidade duma nova morte ou a queda duma outra liberdade (…) (47)

……………………………………….

<<Ás vezes, acredito que só eu existo. Um solipsismo que me faz pensar que tudo o que me rodeia não é máis do que uma criação do meu próprio ego, uma visão pessimista que denota um ânimo instável e tendente á depressão>> (51, salientado orixinal).

……………………………………….

O grupo foi violentamente deslocado, afastándose do lugar onde a moça repousava. O gigante pousou um jorelho no chão e alçou o corpo dela, levantando-o até recolhê-lo entre os braços á altura do peito (69).

……………………………………….

Lá demorou ainda um bocado até poder falar: << Tenho muito medo do que pode acontecer por estar cá.>> Fez uma pausa para tragar saliva e colher forças necessárias para continuar. <<Ao perder a padaria fiquei sem ingressos, mas continuo a ter muitas das dívidas correspondentes à atividade.>> (78, salientado orixinal).

……………………………………….

A barata golpeava as nádegas incitando o gigante a penetrá-lo. Demorou ainda um pouco. Apertou tão forte a mão sobre o pénis como as pálpebras sobre si mesmas, antes de avançar (85).

………………………………………..

<<Este local está a ser ocupado ilegalmente. Solicitamos que procedam ao seu despejo.>> As três aproximaram-se á saída para observar o grupo, que aguardava fora. Miravam-se entre si, desconcertadas (89, salientado orixinal).

…………………………………………

<<Estão ao fechar a zona com um muro>>, disse a moça, tentando descobrir o final daquelas obras (91, salientado orixinal)

………………………………………….

Recuperando a sua extremidade, o gigante mirou a moça procurando un aceno de aprovação. Mas só encontrou um rosto de assombro ainda maior. Ficaram imóveis até que a música voltou a fazer vibrar as paredes (100).

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s